Entrevista com Olivier Correia

 

Olá, daqui Sílvio Fortunato com mais um vídeo e desta vez trago-vos mais uma pessoa associada a mim, o Olivier Correia. É um homem com uma filosofia muito própria e encarou este projeto como algo de diferente na sua vida. É muito profissional e dedicou-se a aprender uma área que não dominava. Hoje pode ser já considerado um Internet Marketer.

Como chegou até nós?

O Olivier tem 43 anos e vive em Évora. Tem 3 filhos e entrou para este negócio porque estava farto de correr atrás do seu sonho sendo que já tinha sido empresário antes mas devido a uma série de circunstâncias as coisas não correram bem. O Olivier trabalhava na área de informática mas não tinha nada a ver com Internet Marketing, apesar de estar em contacto com a área diariamente. Sabia que se ganhava dinheiro na Internet mas sempre pensou que isso era algo que só acontecia com as pessoas conhecidas. Antes de entrar para os LazyMillionaires, o negócio era algo tradicional para si. Aquilo que queria era ter mais tempo para si e obter mais dinheiro que qualquer negócio tradicional lhe poderia trazer. Quis seguir o sonho de poder ter uma melhor qualidade de vida. A decisão de entrar para os Lazy foi tomada pelo plano de ação, ou seja, pelo dinheiro. Faz uma distinção entre a Empower e os Lazy. Para ele, os Lazy são o nosso veículo e depois de cá estar algum tempo o que o atrai é o nosso grupo, as pessoas com as quais lidamos todos os dias e a quem provavelmente conhecemos melhor que a alguns membros da nossa família. Há algo de extraordinário neste grupo, segundo a sua opinião, talvez por todos terem passado pelo mesmo e por todos estarem a melhorar a sua qualidade de vida. Diz ser algum que nunca viu em mais lado nenhum e isso é algo que o atrai. Adora fazer o que faz e não gostaria de fazer mais nada. Para ele, os Lazy são especiais por uma série de fatores. Quando fala em LazyMillionaires, a primeira coisa que lhe surge no pensamento é o lado humano das pessoas e diz ser u grupo onde se aquiriee imenso conhecimento que o surpreendou muito. Recorda um eposódio de quando estava há pouco tempo neste negócio e foi a um evento, um Life Extreme, e, quando chegou, sentiu-se intimidado no meio de tantas pessoas que já ganhavam tanto dinheiro e as quais só conhecia através da Internet, pessoas a quem seguia e admirava e ele era um novato. Aquilo que mais o tocou foi quando a Cesarina, a minha querida mulher, o cumprimentou pelo nome. Quando ele se ía apresentar, já ela sabia quem ele era e a partir desse momento fê-lo olhar para o grupo com outros olhos. Sentiu-se bem recebido e é isso que faz com os seus afiliados. Diz que de cada vez que um novo afiliado seu vai ao seu primeiro Life Extreme, tem a sensação que também vivo o mesmo que ele viveu e é fantástico alguém novo na área ir a um evento como esse. Para ele, o Life Extreme foi uma experiência decisiva pois foi graças a ele que a sua motivação por seguir o sonho se tornou gigantesca. É por isso que um dos seus conselhos é participar em todos os eventos ao vivo.

O que aconselha o Olivier?

Falando de conselhos, perguntei-lhe isso mesmo – o que aconselha ele às pessoas que estão a começar agora na área ao que ele me respondeu que façam um pouco mais do que experimentar. É necessário passar ela primeira fase: a fase da aprendizagem, do trabalho, do conhecimento, da integração e do desenvolvimento. Aconselha as pessoas a entrarem para este negócio de alma e coração e se querem experimentar, que experimentem então dar o máximo durante 90 dias. Se a pessoa quer mudar de vida, não precisa de procurar mais porque tem aqui o veículo necessário para o fazer. Por isso mesmo, não basta gostar muito de, é preciso querer muito fazê-lo.

O que mudou depois de ser ALL-IN?

O Olivier tem tido resultados incríveis para uma pessoa que não sabia absolutamente nada de Internet Marketing. Quando entrou para este projeto, foi logo em regime full time, porque estava desempregado. O seu negócio tinha falido e trabalhou algum tempo por conta de outrem, mas nunca se deu bem com patrões o que o fez mergulhar de cabeça neste projeto onde trabalhou e aprendeu muito. Afirma que no início foi complicado porque evitava comprar muitos cursos porque ainda não tinha o MindSet necessário, algo que hoje seria diferente. No mês em que decidiu ser All-In começou a ganhar dinheiro. Depois de se ter tornado All-In, o seu compromisso mudou porque já tinha investido nos cursos portanto mais valia utilizá-los. Depois, estudou os cursos e colocou em prática o que tinha aprendido. O que o fez avançar foi ver que ainda estava na mesma situação que estava quando entrou no projeto. Não tinha dinheiro para colocar comida no prato da sua família. Conta que chegava a dia 15 e os seus filhos não tinham nem sequer iogurtes para comer, o que o revoltava. Mudou pelos filhos e pela sua família. A sua motivação veio também do que ouvia dos grandes líderes e de mim. Recorda um episódio em que conversava com a Cesarina e eu lhe “puxei as orelhas” para avançar. Fala também que ouviu alguns conselhos de familiares e amigos que lhe diziam para ter cuidado com o que estava a fazer e para não arriscar tanto, isto porque ele sempre se colocou em situações menos boas. Essas mesmas pessoas hoje em dia dizem-lhe que ele tem jeito para aquilo que faz. É isso sabe-lhe bem.

O que gosta nos Lazy?

Algo de bom neste grupo é saber que as pessoas se preocupam umas com as outras e que se seguirmos o que elas têm para dizer chegamos mais longe. O MindSet que temos é que nos leva onde estamos hoje e no início queremos logo ter imenso sucesso mas esquecemo-nos que continuamos com a mesma mentalidade de antes e, normalmente, as pessoas têm algumas dificuldades no início precisamente por causa disso. Nós não só temos o cuidado de ensinar a parte técnica mas as pessoas têm de saber aplicar. Nós disponibilizamos recursos para que as pessoas possam ter a ajuda que precisam. Há que tomar decisões e por vezes temos medo de as tomar mas quanto mais depressa obtivermos os conhecimentos melhores resultados obtemos e mais depressa o nosso MindSet se torna adequado para fazermos o que temos receio de fazer. É isso que nos faz mudar porque para a vida mudar nós temos de mudar primeiro. E foi isso mesmo que o Olivier fez, sempre se envolveu e quem se envolve, desenvolve. Sempre esteve presente para ajudar e em todas as formações. Foi esse envolvimento que fez as coisas acontecer. O Olivier já ganhou cerca de 50 mil dólares, algo que nunca ganhou num negócio tradicional. Fala de que quando começou, demorava imenso tempo a fazer as coisas e depois de adquirir os conhecimentos, passou a fazer tudo mais rápido, o que o deixou mais confortável. Diz que isso nunca lhe tinha acontecido em mais lado nenhum.

O seu trabalho

Há medida que vamos aprendendo, vamos sistematizando os processos e depois podemos evoluir para fazer certas coisas em outsourcing e também ausentarmo-nos de negócio por algum tempo e delegar tarefas noutras pessoas. É isso que permite ter uma qualidade de vida de que tanto falamos. Gosta que as pessoas saibam que este grupo não tem igual e todos os seus membros ajudam os que chegam. Se as pessoas têm medo de entrar num negócio como este por não terem competências, este é o grupo certo para as desenvolver. Todos podem aprender embora os resultados de cada um dependam única e exclusivamente da pessoa e da forma como encara o seu trabalho. Cada um tem o seu processo. Pedi-lhe que imaginasse que a Empower e os Lazy desapareciam e perguntei-lhe se se sente independente e se os conhecimentos que adquiriu lhe permitiriam pegar em qualquer negócio de Internet e fazer dinheiro. Ele afirma que sim e acrescenta que as competências que aqui adquire são para a vida. Ele era informática e hoje é Internet Marketer. Acha difícil que os Lazy acabem por que são um grupo muito unido e ressalva que em 2013 se fez 3.5 triliões de dólares na Internet. É isso mesmo que venho dizendo, que a nossa missão é dar competências às pessoas e ajudá-las a ter uma profissão como Internet Marketers e com essas competências e profissão, a pessoa pode fazer o que quiser. Houve inclusivamente pessoas de negócios locais que lhe pediram assistência e ele está a ajudá-las. É confortável e é algo que gosta de fazer porque é algo que também faz para ele e é mais um rendimento. A nossa missão é precisamente colocar as pessoas numa profissão do século XXI e que, ao mesmo tempo, lhes dá qualidade de vida. Para mim é das profissões mais bem pagas do mundo. Uma coisa é ganharmos dinheiro e outra coisa é ganharmos e termos qualidade de vida. Não é nenhuma fantasia, é um facto porque a tecnologia nos permite automatizar tudo. Podemos ir de férias que o nosso negócio não pára. É uma realidade e o dinheiro que traz é um facto. Desde que me associei à Empower, já ganhei cerca de 600 mil dólares e já movimentei muito mais.

Os meus agradecimentos

Tenho a agradecer ao Olivier por ser um exemplo e uma pessoa que acreditou nos seus sonhos em primeiro lugar, apesar de todas as dificuldades que já teve na vida. Teve a coragem de lutar e mudar a sua vida. É ume excelente exemplo de que não importa onde estamos, o que importa é para onde queremos ir. O que interessa é querer mudar e o Olivier lutou para isso e, por isso mesmo, é uma pessoa que merece a minha admiração. Hoje está ainda no início mas conquistou uma profissão e personifica uma nova espécie de empreendedores. A idade não importa e pessoas como eu e como o Olivier somos prova disso. As pessoas têm de ter a capacidade de se reinventar e foi isso mesmo que o Olivier fez. O que faz hoje não tem nada a ver com o que fazia antes. Manter-se sempre no mesmo patamar é um erro. Se temos de mudar de área então que o façamos. Há áreas que estão a crescer e precisam de profissionais. Os meus mais sinceros parabéns ao Olivier por ter tido essa coragem de se reinventar. Agradeço-lhe as palavras de gratidão e é muito bom ver o nosso trabalho ser reconhecido. Contribui para o mundo do Olivier mas tenho a certeza que ele também contribuiu para o meu. O sucesso dos Lazy é trabalho de todos e é muito bom saber que todos dão o melhor de si.

Terminou o vídeo dizendo “Vamos lá trabalhar mais um bocado.” O meu conselho para quem está a começar é focar-se passo a passo e acreditar em vós próprios e em quem vos está a guiar.

Obrigado a todos e até ao próximo vídeo.

 

PS: Se quer começar a trabalhar mais de perto comigo, aqui está uma solução rápida : www.networking-power.com/sist3ppt?ad=blogk_entreoliviercorreia

5 Comments on “Entrevista com Olivier Correia

  1. Pingback: Entrevista com Olivier Correia | Sílvio Fortunato TV

    • Olá Pedro obrigado pelo teu comentário, o Olivier é o máximo

  2. Obrigado Sílvio pelas tuas palavras, pela tua amizade, pelo teu profissionalismo, pela tua visão e muito acima de tudo pela tua amizade. Um grande abraço deste teu sempre amigo!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *